Qual é a diferença exata entre um imposto rodoviário e um pedágio? Por que pagamos uma taxa de pedágio, mesmo quando já pagamos uma quantia pesada pelo imposto de circulação?


resposta 1:

O imposto rodoviário deve ser pago em um veículo antes de poder ser conduzido em uma via pública. Geralmente é pago no momento da compra de um veículo novo.

O imposto sobre pedágio é cobrado dos veículos que desejam comutar em certas rodovias e pontes. O governo estadual ou órgão local cobrará imposto sobre pedágio nas estradas ou pontes como forma de recuperar o dinheiro gasto na construção dessa estrada ou ponte. O imposto de pedágio também pode ser cobrado para recuperar as despesas de manutenção da estrada ou ponte.

O imposto rodoviário é principalmente um pagamento único. No entanto, o imposto de pedágio deve ser pago sempre que um veículo usar a estrada ou ponte na qual o pedágio é cobrado.

Espero que isto ajude.


resposta 2:

Um imposto rodoviário é um imposto cobrado sobre cada veículo que circula pela estrada. Depois que o imposto rodoviário é pago em um veículo, ele pode ser executado em todas as estradas do estado. Enquanto pedágio é uma tarifa do usuário pelo uso de qualquer parte da estrada ou ponte especificamente reservada como tal. No início do regime imperial, não havia imposto rodoviário, mas havia apenas pedágio. Considerando a dificuldade de cobrar pedágio em vários pontos, o imposto rodoviário foi introduzido, substituindo o pedágio como um imposto unificado.

Agora, as tarifas de pedágio estão sendo cobradas, além do imposto rodoviário, em vários pontos, pelo uso de alguma parte das estradas ou pontes que são notificadas. Teoricamente, isso equivale a dupla tributação e, como tal, pode-se dizer que é ilegal.

Mas praticamente existe uma justificativa na cobrança de pedágio. A construção de estradas e pontes se tornou muito cara. A alocação usual do orçamento do governo estadual e central pode não ser suficiente para atender aos reparos de rotina e aos custos de reposição. Nessa situação, os enormes gastos necessários para a construção de estradas e pontes só podem ser alcançados através de financiamento externo ou de orçamento especial. O montante emprestado dos financiadores externos deve ser reembolsado com juros no futuro. O valor necessário para pagar o financiador externo é atingido através da cobrança de pedágio.

Se o financiamento externo não depender da construção de novas estradas e pontes, poderá demorar muito tempo, período durante o qual a sociedade poderá ser privada dos serviços de novas estradas e pontes. Os benefícios associados à construção de novas estradas e pontes são múltiplos. Pode ajudar a reduzir o engarrafamento, ou diminuir o tempo de corrida para chegar a um determinado local, ou proporcionar um bom conforto de pilotagem e assim por diante. Em suma, pode haver economia no custo operacional dos veículos. Com o pagamento do pedágio, apenas uma parte do custo economizado é gasta, e economicamente é uma boa opção.

Outro ponto é que, se depender do financiamento do Estado para a construção de novas estradas e pontes, pode ser necessário aumentar o imposto sobre veículos / imposto sobre estradas. Se o imposto rodoviário aumentar, a carga será compartilhada por todas as pessoas que usam o veículo, independentemente de ele ser ou não usuário imediato das novas estradas ou pontes construídas. Portanto, é mais saudável coletar impostos dos usuários imediatos. O pedágio pode ser considerado como imposto pelos usuários imediatos das novas estradas ou pontes.


resposta 3:

Um imposto rodoviário é um imposto cobrado sobre cada veículo que circula pela estrada. Depois que o imposto rodoviário é pago em um veículo, ele pode ser executado em todas as estradas do estado. Enquanto pedágio é uma tarifa do usuário pelo uso de qualquer parte da estrada ou ponte especificamente reservada como tal. No início do regime imperial, não havia imposto rodoviário, mas havia apenas pedágio. Considerando a dificuldade de cobrar pedágio em vários pontos, o imposto rodoviário foi introduzido, substituindo o pedágio como um imposto unificado.

Agora, as tarifas de pedágio estão sendo cobradas, além do imposto rodoviário, em vários pontos, pelo uso de alguma parte das estradas ou pontes que são notificadas. Teoricamente, isso equivale a dupla tributação e, como tal, pode-se dizer que é ilegal.

Mas praticamente existe uma justificativa na cobrança de pedágio. A construção de estradas e pontes se tornou muito cara. A alocação usual do orçamento do governo estadual e central pode não ser suficiente para atender aos reparos de rotina e aos custos de reposição. Nessa situação, os enormes gastos necessários para a construção de estradas e pontes só podem ser alcançados através de financiamento externo ou de orçamento especial. O montante emprestado dos financiadores externos deve ser reembolsado com juros no futuro. O valor necessário para pagar o financiador externo é atingido através da cobrança de pedágio.

Se o financiamento externo não depender da construção de novas estradas e pontes, poderá demorar muito tempo, período durante o qual a sociedade poderá ser privada dos serviços de novas estradas e pontes. Os benefícios associados à construção de novas estradas e pontes são múltiplos. Pode ajudar a reduzir o engarrafamento, ou diminuir o tempo de corrida para chegar a um determinado local, ou proporcionar um bom conforto de pilotagem e assim por diante. Em suma, pode haver economia no custo operacional dos veículos. Com o pagamento do pedágio, apenas uma parte do custo economizado é gasta, e economicamente é uma boa opção.

Outro ponto é que, se depender do financiamento do Estado para a construção de novas estradas e pontes, pode ser necessário aumentar o imposto sobre veículos / imposto sobre estradas. Se o imposto rodoviário aumentar, a carga será compartilhada por todas as pessoas que usam o veículo, independentemente de ele ser ou não usuário imediato das novas estradas ou pontes construídas. Portanto, é mais saudável coletar impostos dos usuários imediatos. O pedágio pode ser considerado como imposto pelos usuários imediatos das novas estradas ou pontes.


resposta 4:

Um imposto rodoviário é um imposto cobrado sobre cada veículo que circula pela estrada. Depois que o imposto rodoviário é pago em um veículo, ele pode ser executado em todas as estradas do estado. Enquanto pedágio é uma tarifa do usuário pelo uso de qualquer parte da estrada ou ponte especificamente reservada como tal. No início do regime imperial, não havia imposto rodoviário, mas havia apenas pedágio. Considerando a dificuldade de cobrar pedágio em vários pontos, o imposto rodoviário foi introduzido, substituindo o pedágio como um imposto unificado.

Agora, as tarifas de pedágio estão sendo cobradas, além do imposto rodoviário, em vários pontos, pelo uso de alguma parte das estradas ou pontes que são notificadas. Teoricamente, isso equivale a dupla tributação e, como tal, pode-se dizer que é ilegal.

Mas praticamente existe uma justificativa na cobrança de pedágio. A construção de estradas e pontes se tornou muito cara. A alocação usual do orçamento do governo estadual e central pode não ser suficiente para atender aos reparos de rotina e aos custos de reposição. Nessa situação, os enormes gastos necessários para a construção de estradas e pontes só podem ser alcançados através de financiamento externo ou de orçamento especial. O montante emprestado dos financiadores externos deve ser reembolsado com juros no futuro. O valor necessário para pagar o financiador externo é atingido através da cobrança de pedágio.

Se o financiamento externo não depender da construção de novas estradas e pontes, poderá demorar muito tempo, período durante o qual a sociedade poderá ser privada dos serviços de novas estradas e pontes. Os benefícios associados à construção de novas estradas e pontes são múltiplos. Pode ajudar a reduzir o engarrafamento, ou diminuir o tempo de corrida para chegar a um determinado local, ou proporcionar um bom conforto de pilotagem e assim por diante. Em suma, pode haver economia no custo operacional dos veículos. Com o pagamento do pedágio, apenas uma parte do custo economizado é gasta, e economicamente é uma boa opção.

Outro ponto é que, se depender do financiamento do Estado para a construção de novas estradas e pontes, pode ser necessário aumentar o imposto sobre veículos / imposto sobre estradas. Se o imposto rodoviário aumentar, a carga será compartilhada por todas as pessoas que usam o veículo, independentemente de ele ser ou não usuário imediato das novas estradas ou pontes construídas. Portanto, é mais saudável coletar impostos dos usuários imediatos. O pedágio pode ser considerado como imposto pelos usuários imediatos das novas estradas ou pontes.